Começando um novo semestre (do jeito certo)

Esse semestre você prometeu que vai ser diferente. Chegou a hora de cumprir a promessa.

Todo início de semestre é aquela mesma história! Você falta os primeiros dias de aula porque os professores só vão apresentar a ementa da disciplina. Reencontra alguns colegas e comenta como que as férias passaram tão rápido. E, claro, promete pra todo mundo que esse semestre vai ser diferente: nada de finalizar trabalho em cima da hora e nem pensar em contar com a prova de recuperação.

Passam só três semanas, chegam as primeiras entregas, os professores marcam as primeiras provas… E toda aquela empolgação dos primeiros dias vai ladeira abaixo junto com as suas primeiras notas. Parece que a gente já viu esse filme antes, não é mesmo? Por isso decidi compartilhar algumas dicas que podem ajudar você a se preparar melhor pra os muitos quilômetros até a linha de chegada, e aproveitar esses primeiros dias pra dar aquele impulso.

Um semestre, no fim das contas, é muito mais parecido com uma mini maratona do que com um tiro rápido de 200 metros!

Estabeleça uma Motivação Única

Por que você tem que acordar cedo pra se espremer em um ônibus e assistir 5 horas de aula com professores que só lêem slides e não estão nem aí pra você?

Vou dar agora uma pausa estratégica no texto pra você pensar na sua resposta. Você tem 30 segundos…

Se você não chegou a uma resposta em menos de 10 segundos, muito provavelmente você está na faculdade só porque não teria outra justificativa mais plausível pra dar aos seus pais em troca de continuar em casa sendo sustentado por eles. Yago Martins em um dos seus primeiros livros já falava que nossa geração vive em um mundo cheio de know-how e ao mesmo tempo muito carente de know-why. Todo mundo vive correndo atrás de motivação! E, como não encontra nada que dure muito nessas palestras e livros de coach/youtubers, acaba desistindo. Mas não desista agora! Deixa eu te contar uma coisa: essa motivação que você tanto precisa e vive procurando não se encontra — se cria.

No início do semestre passado, por exemplo, fiz uma promessa pra mim mesmo: preciso me apaixonar de novo (se é que em algum momento eu tenha feito isso) pelo meu curso ou então vou começar a estudar novamente pro ENEM e tentar outro rumo. Essa foi a minha motivação única e foi o que me fez renunciar bastante coisa (inclusive um emprego na área comercial, onde ganhava relativamente bem pra um moleque de até então 19 anos) pra poder focar energia e tempo na universidade. Poderia de fato ter trancado a engenharia há algumas semanas atrás — e não o fiz, ainda bem.

Parece que o plano deu certo.

Crie uma rotina matinal

Não. Você não precisa fazer parte de nenhum 5AM Club, nem ter que praticar yoga de manhã ou adotar nenhum hábito mirabolante como dar 3 pulinhos quando sair da cama. Mas você precisa sim estabelecer um rotina consistente assim que acordar.

No meu caso, estabeleci que a primeira coisa a ser feita (logo após escovar os dentes e tomar café) seria ler 7 capítulos da Bíblia e em seguida assistir 1 aula de um curso online de marketing digital que estou fazendo. E só ligaria meu celular e iniciaria a atender as demandas do dia depois que concluísse essas duas tarefas. Comecei esse desafio na semana passada e, apesar de ter falhado em 2 dias, parece que tem funcionado. O próximo hábito a ser adotado nessa rotina matinal é começar a ir pra academia. Sim, é ralado e também não levo muito jeito pra vida fitness, mas prometo tentar. Descobri que ou faço isso ou perco para o Instagram as horas mais produtivas do meu dia.

Use o Google Calendar a seu favor

Pode parecer meio óbvio, mas saber bem os horários/locais de cada aula — e ter isso sempre no seu campo de visão — ajuda e muito, principalmente a evitar um possível atraso em um compromisso importante. O SIGAA inclusive, se você estuda na UFRN ou outra universidade que adote esse sistema, tem em sua versão no app mobile a opção de sincronizar seus horários de aula com sua agenda do Google. Vale a pena tentar. E, o mais importante que não pode deixar de virar um evento com infinitas notificações no seu celular, adicione as datas importantes do semestre (como provas, entregas de relatório, apresentações de seminário) também na sua agenda.

Nunca subestime a sua capacidade de esquecer das coisas, principalmente das importantes.

Tenha um local sagrado de estudo na sua casa

Ou vá para a biblioteca da sua universidade. Não importa a sua idade, sua mãe sempre vai pensar que se você está de frente ao computador, está livre e pode fazer aquele favor de ir comprar aquele coentro ou batata que está faltando pro almoço mesmo na hora que você está escrevendo aquele artigo ou preparando uma apresentação. Vá para seu quarto (ou outra ambiente especial que tiver na sua casa). Tranque a porta. Se possível coloque uma plaquinha com “futuro engenheiro tentando se formar.” Só não permita que seu lugar de estudo seja disputado por outras pessoas (ainda que seja a sua mãe, ela vai entender) e atividades.

Já temos muitas distrações e desculpas pra não focar no estudo. Não dê mole pra mais uma!

“Opa, professor! Tudo bem?”

Se apresente pra os seus professores. Aperte a mão de cada novo colega ao fim da aula. Peça indicações de livros, sites, autores sobre as disciplinas agora nos primeiros dias. E se eles já te conhecem, cumprimente novamente com um sorriso de “que bom te rever, querido professor!” É impressionante como no mercado sempre falam que devemos priorizar os clientes e tratá-los como Rei e não nos orientam nada sobre isso na vida da universidade. Quem são os professores se não os clientes que vão aprovar nosso trabalho ou nos fazer passar mais tempo ainda pra conseguir o diploma?

Saia com seus colegas da faculdade

Faça isso agora ou morra tentando depois que começarem as primeiras provas. Tudo isso por uma única razão: a melhor maneira de gostar mais ainda do ambiente universitário e reforçar a sua motivação (lembra da primeira dica, né?) é se envolvendo com gente que curte esse negócio. É muito mais fácil encarar 6 anos de faculdade tendo com quem chorar junto do que chorar sozinho durante todo esse tempo. (Sad but true). E se você ainda não encontrou ninguém na sua universidade pra fazer isso nesse início de semestre, procure a @crucampus na sua cidade. Viver em comunidade é sempre menos difícil que viver sozinho. No fim de cada semestre isso torna muito mais real.

O que vai além da Universidade?

Anderson Sales, estudante de Engenharia de Produção na UFRN, envolvido com a Cru Campus desde 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *